10 de mar de 2016

Daniela Melo Rodrigues

Participei do projeto Em Evidências, como aluna e bolsista, em duas de suas edições. O mesmo me auxiliou a analisar e olhar para as pesquisas dos colegas presentes e de demais autores, juntamente, com o observar a forma em que realizo minha pesquisa e produções.
Acredito que o debate sobre o uso de fontes serve como um incentivo a se iniciar uma pesquisa e continuar a mesma, com um olhar diferenciado sobre o que produzimos. Ganhei com os debates realizados um estímulo a pensar sobre a imagem que acabamos por passar, seja para aquele que lê ou acerca dos sujeitos que buscamos compreender. O analisar os diversos supostos teóricos, os tratamentos com as fontes, as problemáticas propostas por aqueles autores e suas produções (que foram sugeridas no projeto), indicou que é possível observar, sem deixar de debater, as dificuldades e vantagens que encontramos ao pesquisar.
É um projeto, que em minha visão, vai além da problemática proposta em suas edições, que acaba por buscar e pensar sobre como é possível abordar a mesma. Nos ajuda a refletir sobre a História e a historiografia, mesmo que por vezes não analisemos apenas trabalhos da área, podemos investigar quais são os caminhos dos historiadores e quais queremos construir.
Os debates são provocativos e auxiliadores, nos quais podemos visualizar a interpretação dos demais colegas presentes e nos colocar perante as obras e/ou fontes apresentadas (pesquisas, documentários, filmes, entrevistas, jornal, dentre outras). Acredito ser um dos momentos mais interessantes, quando ocorre na oficina, o debate acerca das fontes e produções daqueles colegas que se propõe a tal. Nessa etapa podemos compartilhar nossas impressões e pesquisas de uma forma mais clara e, juntamente, analisar sobre as diversas problemáticas existentes dentro do grupo presente no dia.
O projeto nos leva a desafiar o falar sobre as produções, a pensar sobre nossos caminhos, mesmo que por vezes os debates demorem a ocorrer, é interessante visualizar as diversas interpretações acerca de uma mesma fonte, um texto, um documentário ou filme, sobre seus respectivos procedimentos e noções. Portanto, pretendo continuar a participar do mesmo, pois acima do pensar as fontes no caminho dos historiadores, o projeto é uma troca de experiências, que abarca pessoas de diferentes conhecimentos, para que juntos possamos observar nossos caminhos dentro e fora do meio acadêmico.
Daniela Melo Rodrigues - História/UNIOESTE

Janeiro 2016

O que pensa sobre a utilização de fontes no ensino de história?

Como veem a relação ensino e pesquisa na formação do historiador?

Top Evidências