10 de mar de 2016

Sala de aula invertida? Homeschooling? O que temos a dizer sobre isso?

Como nos posicionamos diante das novas tecnologias e iniciativas educacionais?
Nos últimos anos, a discussão intitulada "sala de aula invertida" vem ganhando espaços como um tema polêmico na atuação docente. Sua expansão nos indaga: como manter o debate presencial  nas salas de aula como motivador para as atividades extraclasse e online?
As disputas e interesses que permeiam a promoção do conhecimento on-line merecem nossa inserção nesse debate seja pela expansão exacerbada da Educação à Distância seja pela banalização da interação/ação necessária no processo de acesso, discussão e produção do conhecimento em sala de aula e para além dela.

Como veem essas propostas? Como pensar a prática docente de modo a favorecer a qualidade na produção do conhecimento, o uso de documentações e a pesquisa no ensino de história sem abandonar a sala de aula?

Como a integração das tecnologias ao ensino de história poderá fortalecer nosso prática sem transformar a produção do conhecimento e a relação em sala de aula uma "oposição", desqualificando a docência e as políticas públicas do ensino presencial?

No link abaixo trazemos uma das matérias publicadas sobre a questão para fazer parte de nossas discussões... 

Participe!!!

O que pensa sobre a utilização de fontes no ensino de história?

Como veem a relação ensino e pesquisa na formação do historiador?

Top Evidências